abril 08, 2011

Blogagem coletiva - maternidade real!

Pegando carona no tema “construção de maternidade Irreal”, daqui, pensei no quanto isso pode nos frustrar e chatear no dia-a-dia. Penso às vezes que certas coisas relacionadas à maternidade são mantidas em segredo pelas mães, para preservar a espécie humana da extinção.

Como comentou a Carol, no post linkado acima, a mídia só reforça mães lindas, magras, felizes, desencanas e tranqüilas. E a gente fica aqui, do lado de fora da vitrine, pensando: como é que elas conseguem?

Para mim o problema nem é só o massacre da mídia falando da boa forma dessa ou daquela, depois que acabaram de parir. A sociedade também concorda e basicamente cobra isso da gente. Por exemplo: nunca ninguém tinha me dito que quando chegamos da maternidade, a barriga não sumia assim – puf! Ela fica lá, meio inchada, meio mole, e vai diminuindo com o tempo. As roupas de grávida, portanto, ainda permaneceram em cena durante os primeiros meses de vida da Júlia, para minha surpresa. Não bastasse esse susto e o fato de eu estar me achando horrorosa, ainda tive que conviver com a intolerância alheia. Querem ver?

No dia em que cheguei do hospital ouvi de alguém da família: puxa, mas a barriga ainda tá meio grande, né? Tudo o que eu precisava ouvir, não acham? Com os hormônios em estado de montanha-russa, chorei à noite.

Exatos 6 dias depois de parir minha filha, na noite de natal, fui chamada de gorda por uma pessoa da família. Pior. Ela disse que agora era a magra, e eu a gorda. De novo, chorei. Ou seja, não basta a mídia te sufocar com informação de mundo irreal, mas as pessoas próximas também fazem o favor de te botar pra baixo cobrando magreza, beleza, luminosidade e serenidade, por favor!

E é aí que começa a grande verdade de ter filhos: tudo é bem diferente do que você imaginava. Sim, tem a parte linda e maravilhosa. Essa, todo mundo informa e dissemina. Mas a parte difícil você só descobre depois.


Esse post faz parte da blogagem coletiva sobre maternidade real.


Um comentário:

JUJUBIS disse...

LOL !!!
Engraçado, eu não tenho o que me queixar da minha barriga. Não sei se foi por ter engordado só 7 kg na gravidez, mas logo depois nem parecia q tinha tido filho... Mas em compensação os cabelos !!! Nunca tive um cabelo tão terrível como no primeiro ano da Júlia. Nad dava jeito. Depois voltou ao normal.
Bjs